Atlas é fruto da residência artística de Ana Borralho e João Galante no Rio de Janeiro. O espetáculo agrega 100 pessoas de diferentes profissões que se conhecem em cena para dar vida ao espetáculo. No palco, anunciam suas profissões e revelam as funções que exercem no momento. Atlas é um protesto, uma festa, uma fila de emprego, um retrato social dos moradores de uma cidade em mutação.

Em cada cidade onde o espetáculo acontece são abertas inscrições às comunidades locais para encontrar pessoas/intérpretes para a apresentação de Atlas.

No caso do Rio de Janeiro, a convocatória buscava 100 pessoas/intérpretes, com ou sem experiência performativa. A ação se deu através do site e das redes sociais do Festival Panorama. Aceitava-se qualquer profissão/função na sociedade: desempregados, prostitutas/os, donas de casa, estudantes, cartomantes, políticos etc.

ESTE PROJETO FAZ PARTE DO ANO PORTUGAL NO BRASIL.

Conceito, luz e direção artística: Ana Borralho & João Galante Consultoria de iluminação: Thomas Walgrave Som: Coolgate Colaboração dramatúrgica: Fernando Ribeiro e Rui Catalão Colaboradores artísticos e coordenadores de grupo: Cátia Leitão (Alface), Tiago Gandra e dois colaboradores locais Produção executiva: Ana Borralho e Mónica Samões Produção: casaBranca Coprodução: Maria Matos Teatro Municipal Residência artística: Atelier REAL e alkantara festival Apoio: Junta de Freguesia de Santos-o-Velho. casaBranca é uma associação financiada pela Secretaria de Estado da Cultura/DGArtes

Apoio à apresentação: alkantara no âmbito do Ano Portugal no Brasil.