A proposta é criar um chão movediço, em constante transformação. Nesse percurso, o espetáculo evoca noções de relação e mudança. Big bang boom é uma topologia instável, constituída por uma sucessão de paisagens sobrepostas, portáteis e descartáveis, que nos faz refletir sobre limites e enquadramentos de espaço e tempo, do dentro e fora, do embaixo e acima, do vazio e cheio. Parte do processo de criação realizou-se no Essais, Centre National de Danse Contemporaine d’Angers, na França.

Michelle Moura é cofundadora do Couve-Flor Minicomunidade Artística Mundial, em Curitiba. Como intérprete, colaborou com os coreógrafos Alex Cassal e Dani Lima (Brasil), Fabian Gandini (Argentina) e Vincent Dupont (França). Em 2011, foi residente na Récollets Paris

Criação: Michelle Moura Com: Karenina de los Santos, Bruna Spoladore e Ana Beatriz Figueiredo Som: Vadeco Figurino: Isbella Fonseca Produção: Wellington Guitti Colaboradores na criação: Karenina de los Santos, Elisabete Finger, Emilie Combet, Meri Otoshi Apoio á criação: Fórum Dança, Residência no Edifício, Lisboa. Parte do processo desta criação foi realizado no Essais, Centre National de Danse Contemporaine d’Angers/FR, direção artística de Emmanuelle Huynh Agradecimentos: Jennifer Lacey, Nuno Bizarro, Raissa Kim, Agnieszka Ryszkiewicz, Marcela Santander, Lina Lagaîté, Nicolas Diaz.