O céu é um espaço infinito que abarca tudo. Uma atitude perante o corpo é transformada em dança: deixar o corpo permissivo; mudar de posição com desenvoltura. Antes de começar, um pedido: deixa-me te ver, espectador, deixa-me te contar que um dia eu tive todas as ideias.

Volmir Cordeiro é graduado em teatro pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (Uni-Rio) e mestrando em dança, criação e performance pelo Centre National de Danse Contemporaine de Angers, sob direção da coreógrafa Emmanuelle Huynh.

Coreografia e interpretação: Volmir Cordeiro Música: Peixe – Doces Bárbaros (Caetano Veloso, Maria Bethânia, Gal Costa e Gilberto Gil) Fotos: Laurent Friquet Apoio: Aliança Francesa Co-produção: Centre National de Danse Contemporaine de Angers Direção:  Emmanuelle Huynh

Apoio de turnê: Centre National de Danse Contemporaine de Angers.