Corpo-Cópia: Library of performing rights é uma colaboração entre a Videoteca Panorama (Brasil) e a Live Art Develoment Agency – LADA (UK), produzida e curada por Eduardo Bonito e Paula Gorini (Brasil) e Andrew Mitchelson (UK). A primeira edição do Corpo-Cópia aconteceu em 2011, durante o programa Composições Políticas. O projeto Library of Performing Rights no Rio inclui uma mostra de filmes com trabalhos relacionados à temática de direitos humanos e 4 mesas-redondas. Na programação, destaque para a estreia do filme “Corpo Santo”, desenvolvido no IPUB, Instituto de Psiquiatria da UFRJ, pelos artistas visuais Maurício Dias & Walter Riedweg.
O acervo da Library of Performing Rights ficará disponível de 13 a 18 de novembro, na Sala de Convivência do CCBB, durante horário de funcionamento do centro cultural.
A Library of Performing Rights foi criada pela LADA em 2006, em colaboração com a artista Lois Weaver e a Queen Mary University of London, no Reino Unido, como parte do projeto Performance Studies International 12: Performing Rights.

Programação:

13 de novembro

17h – PPremière Brasil:

Corpo Santo (Maurício Dias & Walter Riedweg) – O projeto teve duas abordagens: uma terapêutica, constituída de uma série de 60 “encontros sensoriais” com os pacientes do IPUB, realizada ao longo de 2011, no interior do Teatro Qorpo Santo, prédio construído no século XIX dentro do próprio instituto e que por sua vez possibilitou a outra, de representação artística, ou seja: o resultado plástico destas vivências na forma de uma video-instalação integrada na Coleção Prinzhorn. Ele contribui para a reflexão sobre as relações históricas entre arte, política e psiquiatria, baseada numa experiência dividida entre artistas, médicos e pacientes.

Brasil, 2011, 40 minutos.

(Programa repete dia 18 de novembro, às 19h).

 18h – Mesa redonda

Desabilidades em xeque.

Nessa mesa redonda pretendemos discutir sobre a produção artística em trabalhos de dança, performance e artes visuais para assuntos relacionados à saúde mental e física. Parte de nosso programa nesse dia é de trabalhos desenvolvidos por pessoas portadoras de deficiências físicas ou mentais, que estamos chamando de desabilidades, justamente porque nossa discussão começa na própria dificuldade em encontrar um termo que expresse clara e objetivamente essa condição, que seja ao mesmo tempo menos politicamente correto e mais humano e criativo. Além disso, Mauricio Dias & Walter Riedweg compartilham a experiência do processo do trabalho “Corpo Santo”, estreia de nossa noite.

Convidados:

– Mauricio Dias (Rio de Janeiro, 1964) & Walter Riedweg (Lucerna, 1955) trabalham juntos desde 1993 em projetos de arte que investigam a maneira como psicologias privadas afetam o espaço público e vice-versa. Estes projetos têm como característica principal o fato de envolver o público na elaboração de cada obra e apresentar a própria alteridade e a percepção do outro como questões centrais, o que consagrou o trabalho da dupla como pioneiro de uma nova arte pública na cena de arte contemporânea internacional.

– Carla Strachmman (coordenadora pedagógica) & Bernardo Zabagala (bailarino e professor): oficinas de dança e sensibilização para arte, residência Corpo Desperto, realizadas pelo Ponto de Cultura Espaço Panorama no IPUB, Instituto de Psiquiatria da UFRJ.

– Teresa Taquechel: fundou e dirige a Pulsar Cia de Dança, que propõe um novo olhar dentro da estética da dança. A Pulsar é composta por bailarinos e atores portadores de deficiência.

– Julio Verztman: é psicanalista, psiquiatra e pesquisador do IPUB(UFRJ), coordenador do Núcleo de Estudos em Psicanálise e Clínica da Contemporaneidade (NEPECC-UFRJ).

19h – Corpo-diverso:

 Fat (Pete Edwards)/ Reino Unido, 2009, 4 minutos; Undress Redress (Noëmi Lakmaier)/ Reino Unido, 2011, 6 minutos; Spitting Mad (Bobby Baker)/ Reino Unido,  1997, 10 minutos; No Retreat, No Surrender (Mat Fraser)/ Reino Unido, 2011, 6 minutos; Magno Pirol (Graco Alves)/ Brasil, 2004, 20 minutos.

(programa repete dia 18 de novembro, às 17h).

 14 de novembro

17h – Corpo-Manifesto:

Acts of Memory (Monica Ross), Reino Unido, 2009, 120 minutos.

 18h – MMesa redonda

The Long Table: Declaração dos Direitos Humanos.

Nesse dia teremos um formato diferenciado de debate. Com base na performance “The Long Table”, de Lois Weaver (EUA/UK), faremos uma “mesa aberta”, em que qualquer pessoa do público está apta a sentar-se à mesa e contribuir com a discussão. O eixo-temático, que nessa noite será a Declaração dos Direitos Humanos, é nosso único guia, bem como algumas “regras de etiqueta” para melhor dinamizar a performance. A ideia da Long Table se baseia em duas premissas: 1- horizontalizar o conhecimento, ao sentar-se à mesa o participante é também um especialista; 2- a Long Table promove o encontro de pessoas que se interessam por um mesmo tema e fortalece uma network especializada.

 15 de novembro

17h e 19h – Corpo-Identidade:

Why I Make Live Art (George Chakravarthi)/ Reino Unido, 2008, 1 minuto; Oh, Jerusalem! (Oreet Ashery)/ Reino Unido, 2005, 5; Nº 14 (La Ribot), Espanha,  1997, 7 minutos; Carne (Micheline Torres), Brasil, 2008, 5 minutos; In-Organic (Marcela Levi), Brasil, 2007, 30 minutos.

(Repete no dia 17 de novembro, às 19h).

 18h – Mesa redonda

 Diversidade sexual, identidade e performance.

A noite de hoje é focada na produção artística que questiona, apresenta, provoca o espectador a pensar sobre questões de gênero, identidade e diversidade sexual. Em nossa atualidade, a sexualidade e suas várias possibilidades de afirmação traduzem uma necessidade em se firmar como identidade. Ou sempre traduziram? E a identidade no corpo é uma manifestação política, ativista? Quais são as perguntas que podemos fazer para práticas artísticas que estão diretamente conectadas com o corpo?

Convidados:

– Sara Panamby: Índia Alienígena. Criada no bairro do Capão Redondo (SP), foi operadora de telemarketing onde se descobriu obtusa. Graduada em Performance no curso de Comunicação e Artes do Corpo (PUC-SP), atualmente conclui sua pesquisa de mestrado em Artes pela UERJ. Também atua como professora na mesma instituição.

– André Bern: é blogger, artista de dança e performance. Sua produção gira frequentemente em torno de questões identitárias e interdisciplinares, nas fronteiras entre gênero e raça, dança e artes visuais. É bacharel em Dança (UFRJ) e mestrando em Artes (UERJ). Edita o blog ctrl+alt+dança (http://ctrlaltdanca.com) e integra a Rede CURIÔS – Nov@s Coreógraf@s Negr@s em Dança Contemporânea.

 16 de novembro

17h e 19h – Corpo-Ativismo:

Dismantling Indra (Asamblea Contra la Guerra Permanente), Espanha, 2005, 15 minutos; Load of Rubish (Vacuum Cleaner), Reino Unido, 2008, 8 minutos; Soya Sauce and Ketchup Fight (Mad For Real), Reino Unido, 2000, 5 minutos; Yomango Tango (Yomango), Argentina, ano, 6 minutos; Não Alimente os animais (Ricardo Marinelli), Brasil, 2011, 5 minutos; Knitting Iron/ excerpts (Poshya Kakl), Reino Unido, 2012, 10 minutos.

(repete no dia 17 de novembro, às 17h).

 18h – Mesa redonda

 Artevismos hoje.

Com base no programa Composições Políticas, nossa mesa de hoje reflete sobre a importância em se debater e pensar, ao mesmo tempo em que se cria e se expressa. Como promover o debate e a reflexão em espaços de engajamento artístico? Arte política? ARTEvismos que compõem a produção atual artística que dialoga com nosso cotidiano social.

Convidados:

– Isabel Ferreira (Composições Políticas): curadora e produtora cultural, foi diretora e organizadora do encontro Ibero Americano de cruzamento entre arte e política, Composições Políticas 2011.

– Andrew Mitchelson (Library of Performing Rights/UK): performer e produtor cultural baseado em Londres, é um dos responsáveis pelo projeto de tour da Library of Performing Rights.

– Geo Britto: Ator e sociólogo. Trabalha no Centro de Teatro do Oprimido há mais de 20 anos. Coordena o projeto Teatro do Oprimido na Saúde Mental e do Ponto de Cultura. É integrante da Comissão Nacional de Pontos de Cultura. www.cto.org.br

Curadoria: Andrew Mitchelson, Eduardo Bonito e Paula Gorini Coordenação de produção: Paula Gorini Agradecimentos : Lois Weaver, Isabel Ferreira, Sônia Sobral, Jailson de Souza, Pedro Mendes e a todos os artistas que cederam seus trabalhos.