Maneries entende o corpo como material linguístico. Tomando símbolos icônicos, motivados e arbitrários, o performer constrói e explora uma série de provas para testar seus limites, sua verdadeira capacidade. Uma viagem marcada pela experiência do tempo e por vivências que conferem ao corpo as funções de produtor e receptor de possíveis significados.

Luis Garay e a Cia Buenos Aires realizam, desde 1999, um minucioso trabalho formal sobre o corpo em que questionam modos de representação cênica. Garay desenvolveu, entre outras peças, Hay en mi formas extrañas, Maya, Ouroboro e The divine comedy.

Conceito e direção: Luis Garay Coprodução: Internationalle Musikfesttage Martinu B (Suíça) Performer: Florencia Vecino Música original e ao vivo: Mauro AP Design de luz: Eduardo Maggiolo Subsídio de criação: Prodanza Apoio: Porto a Solo, Portugal

Parceiros de turnê: Festival Contemporâneo de São Paulo.