Panorama Festival | tReTa: Um ato premeditado para envolver o outro, um conflito, uma explosão

tReTa: Um ato premeditado para envolver o outro, um conflito, uma explosão

tReTa: Um ato premeditado para envolver o outro, um conflito, uma explosão

Espetáculo levou à Paris o discurso do corpo já em colapso

Um espetáculo que discursa sobre um corpo desesperado, infectado por coisas que a humanidade produz, e com isso passa a mover-se e vibrar através deste caos instaurado. Essa foi a proposta da cia Original Bomber Crew, diretamente de Teresina, Piauí, que levou o tReTa à Pantin, na França, durante o Festival Panorama 2020. “Nosso trabalho já expressa o espectro desse corpo pandêmico, o contexto atual só veio reiterar a importância da nossa voz. Ao mesmo tempo é interessante e triste perceber que já havíamos criado uma linguagem para falar desse modo doente de viver e de se relacionar”, conta Cesar Costa, que assina a concepção, junto com Alexandre Santos, ambos dançarinos e performers da cia.

A apresentação instiga, arrepia, deslocando-nos do lugar do olhar comum, colocando o espectador na escuridão e na incerteza, já que não há acentos e nem lugares marcados para viver esta experiência. O público se mistura no espaço, que nesta ocasião foi o estacionamento do Centre National de la Danse, em Paris. “O espaço que nos foi oferecido para a performance veio complementar nossa pesquisa, que conta sempre com lugares inusitados para realizar esta simbiose com o espectador, e tudo fluiu conforme esperávamos. Saímos muito felizes com o resultado, tanto como artista, quanto produção. Foi importante para nós, e entendemos que não importa o formato, precisamos simplesmente continuar a caminhada”, ressalta Alexandre Santos, que também dirige o espetáculo, que conta ainda com Javé Montuchô, Malcom Jefferson, Maurício Pokemon e Phillip Marinho no elenco.

Durante as três apresentações do tReTa, nos dias 5, 6, 7 de março, o clima pré pandêmico ainda não estava totalmente instaurado. Cesar comenta a interação do público durante o Festival Panorama 2020. “O clima pré pandemia acentuou a urgência deste corpo em colapso ser discutido e discursado. Quase ninguém por ali estava preocupado ainda com máscaras, por exemplo. Espacialmente o trabalho deixa o público ‘solto’, livre, sem assentos, sem indicações mais diretas de onde deve ficar, pra onde deve olhar, isso proporciona diferentes formas de se relacionar com a obra. Nossa percepção foi de que o público ‘esteve junto’ durante cada apresentação. Percebo no Festival Panorama a qualidade de se reinventar no tempo. Seu passado é, sim, uma grande história, patrimônio cultural brasileiro. Agradeço a todos os profissionais envolvidos por fazer esse trabalho maravilhoso continuar acontecendo”, ressalta o dançarino.

Original Bomber Crew é uma organização de práticas, pesquisa e de produção da cultura hip-hop. Estão ativos desde 2005, e são referência no Piauí, justamente no trabalho de formação em dança de rua. Com participações em festivais, batalhas e encontros nacionais e internacionais, atualmente ocupa a Casa do Hip Hop, em Teresina, junto a outros artistas da cidade. O grupo desenvolve espetáculos, performances, batalhas, intervenções urbanas, festivais e oficinas de dança no Piauí e em estados vizinhos. O grupo também se apresentou no

Festival Panorama 2018, no Rio de Janeiro. A obra foi elaborada em Teresina (PI) durante residências de pesquisa e criação na Casa de Hip Hop (2017 e 2018), Espaço Balde (2018) e CAMPO Arte Contemporânea (2017 e 2018).

No Comments

Post A Comment